Archive for the ‘Em defesa dos animais’ Category

Quer ajudar o meio ambiente? Pare de comer carne!

Tuesday, September 20th, 2011

Nossas ações fazem diferença, ninguém tem dúvida.

Todo mundo, hoje em dia, se diz envolvido em ao menos uma “ação” em defesa do meio ambiente. Não há quem diga, impunemente, que não está nem aí.

Mas as ações das pessoas, em geral, vão até o limite de seu conforto. Se não atrapalhar sua vida, tudo bem; se não trouxer gastos, tudo bem; se não incidir em grandes sacrifícios, tudo bem.

Mas tem que gastar? Tem que deixar de fazer algo que amo? Tem que ter sacrifício?

“Tô fora”; “Já tem muita gente fazendo”; “É muito difícil”; “Isso é balela, não tem nada a ver”.

É neste rol que incluo o fato de as pessoas comerem carne e nem cogitarem deixar de fazê-lo.

É a favor dos animais, ama os cachorrinhos, chora pelos gatinhos, não pode ver alguém maltratando um bichinho… mas carne é uma delícia!

Sei que é difícil.

Mas algumas reflexões devem ser feitas, especialmente por aqueles que se dizem comprometidos com o meio ambiente e que “adoram” os animais (vivos).

Eu deixei de comer carne há uns 6 anos – com períodos dentro destes em que sucumbi, especialmente viajando, em que a alimentação diferenciada fica mais difícil – mas posso considerar que, dentro deste período, coloquei pra dentro do meu corpo 99,5% menos carne do que colocava anteriormente.

Por que deixei de comer carne?

Porque não concordo com o fato de os animais serem criados para nos alimentar, especialmente como são.

Veja, por exemplo, o documentário A Carne é Fraca, produzido pelo Instituto Nina Rosa (INR), e se assuste.

Aqui coloco apenas o trailer, no link acima pode-se comprar na loja do INR:

E veja também o filme chamado Earthlings (Terráqueos).

Como eu não consegui incorporar, apenas coloquei o link acima. Está com legenda em português.

Ele tem imagens muito fortes, tome cuidado.

Outra coisa: pra quem não sabe, os bois são castrados pra criação com destino aos abatedouros.

E você acha que tem anestesia ou carinho nos bagos deles pra não sentir dor?

Veja este vídeo (cenas também muito fortes):

Por fim, cito alguns números que saíram n’O Globo do dia 3 de setembro de 2011, p.13:

A pecuária é a atividade que mais ocupa áreas desmatadas na Amazônia. O pasto responde por 62% dos 719,2 mil quilômetros quadrados desflorestados na região até 2008. (…) O desmatamento na Amazônia não está associado à agricultura (que responde por 5% do total de floresta derrubada.

A pecuária é uma atividade que só se mostra viável em grandes propriedades, já que exige um investimento significativo na manutenção da pastagem. (…) Apesar da ampla área de pastagem, a concentração de gado é baixa. (…) Em áreas do tamanho de um campo de futebol, há apenas um boi pastando.

Resumindo:

Se você gosta dos animais e se você quer colaborar com o meio ambiente, deixe de comer carne.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Não como carne.

Rodeio e os animais… a Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos

Wednesday, August 31st, 2011

Os últimos acontecimentos na chamada Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos reacenderam os protestos contra o uso de animais em rodeios: a morte de um bezerro e um touro se arrastando pelas patas traseiras, supostamente com câimbras.

Veja este vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=_8BmdTBOHpA

Bem, recebi do Instituto Nina Rosa um email com uma carta que o Instituto está enviando a todos os patrocinadores da “Festa”.

O mais legal deste email é que tem a lista com todos os patrocinadores do evento e seus respectivos emails.

Copio abaixo a carta, pois tem informações relevantes. A carta está aberta a quem quiser assiná-la e enviar aos patrocinadores:

Senhores,

Concordamos que empresas devem incentivar eventos culturais, porém de uma cultura de paz. Se ainda alguém duvidava que os rodeios com animais são espetáculos recheados de crueldade,  esta edição de Barretos comprovou os maus-tratos, que há anos vêm sendo apontados por pessoas mais bem informadas.

Enquete realizada pela Rede R7 de Notícias concluiu que 96% das pessoas são contrárias a rodeios com animais.

Estimativas apontam que cerca de 70% dos freqüentadores deste tipo de evento não assistem  às provas com animais. Sua participação se restringe  aos shows de artistas, como apontado no PL nº 825 / 2011.

Estudos do FBI mostram que a violência contra animais funciona como um “primeiro degrau” para futuras violências contra humanos. Quase todos os assassinos em série têm em sua história a prática de maus-tratos a animais. Segundo pesquisas, a violência cometida contra animais, quando feita ou mesmo assistida por crianças, tem consequências psicológicas trágicas, marcando-as por toda a vida. Por outro lado, o afeto que os animais inspiram, quando incentivado, pode despertar no indivíduo sentimentos de amor, zelo e autoestima positiva.

O mundo clama por paz. Para podermos ser responsáveis socialmente, não devemos caminhar na direção oposta.

Atenciosamente

Nome

Cidade/UF

Abaixo copio a lista de patrocinadores do evento de Barretos. Quem quiser se manifestar a respeito, envie emails.

Podemos mostrar nosso inconformismo a quem dá dinheiro ao Rodeio, mesmo sabendo como os animais são utilizados:

Por fim, quero deixar umas impressões minhas, bem simples.

Usamos os animais para muitas coisas.

Não podemos ser ingênuos a pensar que os mesmos deixarão de ser usados pelos seres humanos.

Mas, em todos os casos, há formas e formas de usá-los – com crueldade, sem crueldade, sem cuidados, com cuidados…

Temos que pensar em todas as nossas ações – nossos consumos, nossos entretenimentos – sobre a forma com que os animais são utilizados – se o são.

Por exemplo, é muito fácil e notório perceber os mal-tratos que animais recebem em rodeios ou em circos, por exemplo, e fazer campanhas contra, se indignar, achar que todos os que fazem parte ou assistem são desumanos.

Mas é muito mais difícil “ver”, perceber ou mesmo aceitar que existem  mal-tratos aos animais que nos servem de alimento, tais como o gado, o porco, a galinha, que são mortos milhares e milhares diariamente.

Claro que são instâncias diferentes. Claro que existe hoje formas de criar mais “humanas”.

Mas, você tem certeza?

Então, por exemplo, cobrar parar o uso de animais em Barretos é fácil, mas… e parar de comer carne, você já parou?

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Parei de comer carne há 6 anos [sim, é difícil]

Matéria sobre neo-vegetarianos na folhateen

Tuesday, March 8th, 2011

Bom, pra começar, teen é o cacete!

Feito este pequeno comentário, indico para leitura esta matéria que saiu no folhateen:

Jovens vegetarianos precisam ficar de olho no que colocam no prato

É bom saber que mais e mais pessoas estão se tornando vegetarianas.

Eu deixei de comer carne há uns 6 anos e sei a dificuldade que é. Não há muitas opções pra nós.

De vez em quando abro minhas exceções, em viagens ou casas de pessoas que não tenho muita intimidade.

Gosto de carne, comeria sem problemas. Parei por conta de todos os problemas ambientais que traz a produção da carne e a forma como os animais são tratados.

Então, luto constantemente para não comer. Para isso, obviamente, cozinho e o faço bem.

Vou descobrindo receitas, fazendo misturas, procurando novidades.

Tentem parar, ao menos diminuir. É bom pro meio ambiente.

Vejam, se quiserem ajuda, a categoria de links “Alimentação – coma melhor!”, onde colocarei sempre minhas novas descobertas.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira
Não comedor de carne morta

Não se pode falar mal da “festa” de Barretos. Viva a liberdade de imprensa que nos imprensa!

Tuesday, March 1st, 2011

A ONG PEA – Projeto Esperança Animal, vinha denunciando o rodeio de Barretos por maltratos aos animais, promovendo campanhas contra o uso destes em rodeios.

Eis que a associação Os Independentes, que organiza o evento, impetrou uma ação contra a ONG [Veja notícia]

Eis que a (in)justiça de São Paulo aceitou.

Agora o PEA ajuizou Reclamação (RCL 11292) no Supremo Tribunal Federal contra decisão da Justiça de São Paulo.

Recebi por email o pedido de ajuda para que mandemos mensagens ao Ministro. Já tem até um modelo de mensagem, caso alguém queira colaborar na campanha:

ALERTA CONTRA A MORDAÇA e a IMPOSTURA!!!!!

Já ADAPTADA ao tamanho do formulário!

Vamos lá, pessoas, estou precisando MUITO de TODOS vocês.

O relator do processo aberto pela PEA no Supremo é o Ministro Joaquim Barbosa.

Vamos enviar nossa mensagem ao Supremo, através do link apropriado?

LINK PARA O SUPREMO (clicar na opção “Acessar o formulário” na parte inferior central da página)

Mensagem Modelo sugerida (os advogados estão convidados a melhorar o meu texto, se necessário), já adaptada para não conter comentários que o Supremo possa julgar ofensivos:

[início da mensagem]

“Venho recorrer a Vossas Excelências, por entender que esta Casa é o último bastião da moralidade e da constitucionalidade deste País.

Tive conhecimento de um fato que muito me preocupa, e que desejo levar ao vosso conhecimento, por afetar diretamente um dos pilares de qualquer sistema democrático: a liberdade de expressão e imprensa.

Tomei conhecimento de que a PEA, ONG Projeto de Esperança Animal, recebeu condenação em 1º grau pela Justiça de São Paulo por criticar maus tratos a animais no Rodeio de Barretos, evento sabidamente violento e reconhecido mundialmente por sua característica de maus tratos e crueldade extremos aos animais. A decisão me surpreendeu e chocou profundamente, ao impedir a vinculação dos organizadores da Festa do Peão de Boiadeiro de Barretos com a tortura ou maltrato de animais e pela condenação da ONG ao pagamento de indenização por dano moral.

“A ação originária foi movida na Justiça paulista pela associação “Os Independentes”, promotora da Festa do Peão, contra a ONG, que promoveu campanha, principalmente em seu site na internet, contra o uso de animais em rodeios. A entidade alegava que a ONG teria enviado diversas mensagens e e-mails aos patrocinadores da festa dissuadindo-os a não patrocinar os rodeios e vinculando o evento à tortura de animais. As críticas diziam respeito, principalmente, à utilização do “sedém”, artefato que causa desconforto ao animal e o leva a saltar, corcovear e escoicear.” Fonte: http://correiodobrasil.com.br/ong-condenada-por-criticar-maus-tratos-a-animais-em-barretos-apresenta-reclamacao-ao-stf/214042/

Submeto à vossa consideração os seguintes links, que caracterizam a veracidade das características violentas e odiosas deste evento:

http://espanol.video.yahoo.com/watch/4280099/11500296
http://www.youtube.com/watch?v=7ZI1z_OxNfw
http://www.youtube.com/watch?v=AbKsNRa3HVI

Em resumo, peço a sua consideração para os seguintes fatos:

– o teor do Artigo 225 de nossa Constituição:

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá- lo para as presentes e futuras gerações.
§ 1º – Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público:
VII – proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade.

– a violação da liberdade de expressão e de imprensa pela decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo:

Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem entre seus fundamentos a liberdade de expressão e imprensa.”

[fim da mensagem]

Segundo a informação contida na matéria do Correio do Brasil, o relator do processo no Supremo deve ser o o Ministro Joaquim Barbosa.

Gostaria de solicitar a sua intervenção saneadora nesta matéria, já que este é um antecedente que, se estabelecido, trará graves restrições para a liberdade de expressão no país e, de forma mais específica, inibirá a iniciativa da sociedade civil brasileiro, cada vez mais dominante hoje, de se empenhar por um fim às atrocidades envolvendo a violação flagrante dos direitos dos animais, movimento crescente também em todo o mundo civilizado.

Portanto, venho divulgar o pedido de ajuda.

Enviem, se acharem pertinente, suas mensagens ao Ministro.

Abraços,

Declev Reynier Dib-Ferreira